quinta-feira, 27 de novembro de 2014

QUAL O SEU PRÉDIO PREFERIDO EM BELÉM? ELIAS RIBEIRO PINTO



QUAL O SEU PRÉDIO PREFERIDO EM BELÉM?
ELIAS RIBEIRO PINTO


COLUNA NO JORNAL DIÁRIO DO PARÁ 

Você sabe onde é o edifício Costa Leite, o preferido do arquiteto do século XX no Pará?

1 O arquiteto Camilo Porto de Oliveira morreu no dia 23 de dezembro de 2005. Completaria 83 anos, em janeiro do ano seguinte. Em março de 2003, pouco depois de fazer 80 anos, ele me concedeu o que seria sua última entrevista, publicada aqui no DIÁRIO. Na ocasião, Camilo – que semeou o modernismo arquitetônico em Belém – havia recebido o título de Arquiteto do Século XX no Pará, concedido pelo Instituto de Arquitetura do Brasil. A glória honorífica chegava na estação outonal de Camilo Porto, que vivia de duas pequenas aposentadorias, depois de ter construído e dirigido uma das mais famosas boates de Belém, a Gemini, na mesma época de outra criação sua como empresário, o centro de estética Só Ela & Só Ele.

2 No dia a dia, não há como deixar de passar pela frente de ao menos uma das dezenas de belas casas que ele projetou e construiu na cidade nas décadas de 1950 e 60 para famílias abastadas.
No centro, por exemplo, na descida da José Malcher até alcançar a Assis de Vasconcelos, há, ou havia, uma série delas, entre as quais a que abrigou o restaurante Lá em Casa. Ou na Presidente Pernambuco, onde há outra série, incluindo aquela em que residiu.

3 A sua eleita, no entanto, estava distante do centro: fica na Almirante Barroso, esquina da Vileta. Temos ainda os prédios, com destaque para o Dom Carlos, cuja arquitetura, singularizada pela rampa de acesso, ocupa a esquina da Ó de Almeida com a Quintino Bocaiúva. A sede social do Clube do Remo, na avenida Nazaré, e o prédio da Sudam, na Almirante Barroso, também são frutos de sua prancheta.

4 Em relação aos edifícios residenciais, apontou, como favorito, o Santa Lúcia, bem ao lado da sede social do Clube do Remo. E entre as repartições públicas, destacou a sede que fez para o DER (Departamento de Estradas e Rodagem), na Almirante Barroso, onde hoje funciona o Secretaria de Transporte do Estado (se é que ainda funciona).

Pouco tempo depois da nossa conversa, telefonei ao arquiteto para lhe perguntar a respeito de seus prédios favoritos – prédios de outros construtores – em Belém, do ponto de vista arquitetônico, histórico ou mesmo afetivo.
5 Camilo Porto elegeu o prédio Costa Leite, onde hoje é a Secretaria de Estado de Indústria, Comércio e Mineração, bem na esquina da Praça da República, do lado daqui do Olympia, com a Caetano Rufino. A edificação foi projetada por Judah Levy, no final da década de 1930. Camilo disse que gostava muito do Costa Leite por ser “bem harmônico”. Também indicou o edifício Bern, este em frente aos Correios, que esteve entre os primeiros prédios da cidade a superar o teto de três andares, altura máxima a que se alçava a Belém vertical daquela época.

6 Judah, o semeador de arranha-céus, o primeiro a povoar os altos de Belém, ergueria, uma década depois, em 1949, o edifício Piedade, na esquina da Presidente Vargas com a Riachuelo, o primeiro de dez andares. O prédio trazia embutida outra novidade: o primeiro elevador instalado em prédio residencial. Três anos depois, já em 1952, o engenheiro se superou ao construir o mais sofisticado edifício de Belém na época, o Renascença, situado do outro lado da rua, paralelo ao Piedade.

7 Ah, Camilo Porto de Oliveira também votou no Atalanta, na Doca, “apesar de, pelo que me contaram, pois nunca entrei lá, se sai de uma sala passando pela outra, o que considero um defeito”.
Bem, ontem renovei a pergunta sobre a música que é a cara de Belém. Hoje renovo a pergunta sobre o prédio, residencial ou não, preferido de vocês na cidade.

https://www.facebook.com/elias.ribeiropinto/posts/10203153580502011
Postar um comentário