sábado, 15 de março de 2014

Historinha, francisco vaz Brasil



Historinha
francisco vaz Brasil


Ele saiu da selva amazônica
Em busca de um sonho inatingível
- percorreu o Amazonas
Numa canoa de casca de Jatobá,
Para pescar com anzol
O pirarucu do jantar
Burilou palavras indizíveis e poematizou o poema
-como o fez João Cabral-
Para falar-lhe de ternura
& emoções mais íntimas d’alma
Revolveu os Andes, oceanos, gramáticas,
Física quântica, vulcões, tempestades & paradoxos
Na busca da tiara de flores que mais enfeitasse
Os cabelos da princesa...
Correu quilômetros inimagináveis
Da Transamazônica às calçadas de Andaluzia
Para trazer-lhe a gema mais valorosa...
Vestiu um Armani azul marinho
Virou Dom Quixote de La Mancha
Invadiu os nove infernos de Dante,
Mergulhou as águas do Sena, tal Celan
Entortou chifres de touros nas arenas de Madri,
Fechou o Canal da Mancha, banhou na Baía do Guajará,
Entupiu poços de petróleo no Oriente Médio...
Pela princesa invadiu as noites de Damasco e Paris,
Catou as estrelas de Exupéry junto ao luar do sertão
Para enfeitar seu olhar com as cores mais multicores
Por ela roubou dos pássaros canoros
A canção mais ternamente linda y sensual
Para enternecer-lhe os momentos...
Por ela, fez curso de poeta
Para escrever-lhe os versos mais belos
e eternizar em fonemas & frases
De um rock and roll pra lá de onírico
e dizer que a adorava princesa...
Postar um comentário