terça-feira, 7 de janeiro de 2014

Poetic sense, Francisco Vaz Brasil



Poetic sense
Francisco Vaz Brasil
um poema, para sê-lo,  deve ser sentido,
algo e palpável e silencioso,
como uma gema de rubi ou como uma fruta

deve ser silente, com a sensibilidade
de uma princesa acariciando uma flor

deve ser calmo como a pedra do parapeito
onde a amada encosta e o musgo medra

um poema deve sumir entre as palavras
como as aves que se espalham nos céus
até ser percebido, absoluto onde está

um poema, para ser poema
deve ficar estático no espaço
como uma lua cheia ante o olhar perplexo

deve deixar libertas
folhas e ramos das árvores
envoltas pela luz das noites de luar

um poema deve dar liberdade
- para ser sentido -
e não uma egoísta e crua verdade

um poema, para ser poema
deve ser simplesmente silencioso
- não deve significar -
                          apenas acontecer
Postar um comentário