quinta-feira, 14 de novembro de 2013

Verbalizando o verbo, francisco vaz Brasil



Verbalizando o verbo
            francisco vaz Brasil



Primeiro veio o verbo: in verbis;
Depois vieram os substantivos,
adjetivos, pronomes, os acentos
e as outras traquinagens gramaticais

Daí, então, que Dom João,
Fugindo dos franceses, ao banhar-se
Com as negas do leite, ali,
no Forte Copacabana e abraçado 
a uma mulata do Sargentelli gritou:
Se é para o bem das minhas morenas
E felicidade geral do favelão
Diga ao povo das senzalas que “Eu Fico!”

Foi da primeira conjugação, na primeira pessoa
E a traquinagem continuou no século XIX.

Em seguida, Pedro II, recém chegado de Miami
E montado em sua jumenta, às margens do igarapé
Ipiranga, onde lindas lavadeiras banhavam-se
E lavavam as roupas e as partes baixas,
Empunhou sua espada e mirando as Krikas
das negras -que eram roxas, gritou em alto tom:
“Independence or Death!”

E dali se afastou alegremente, entre um gole
e outro de tiquira junto com trezentas moças morenas

Eis que senão, quando,
logo veio a Duquesa de Santos
pegou a jumenta de Dom Pedro
e a acomodou nas partes mais íntimas
de seu armário...

E, in verbis  veio a carne
Pois carne não vive sem carne
E sem verbo não se pare um poema...
Postar um comentário