sexta-feira, 29 de novembro de 2013

por trinta dinheiros, francisco vaz brasil



por trinta dinheiros
francisco vaz brasil


e a mãe declarou:
“estou sem braços
                                    sem pernas,                                                        
sem cabeça, sem nada..
levaram tudo de mim.”

o pai e a irmã, mudos, paralisados
-  estupefatos, desfeitos sobre o sofá

este é um quadro tétrico
pintado em uma casa
em são bernardo do campo – são paulo;

em outra rua, em um consultório
uma dentista, 47, atendia uma cliente
foi obrigada a entregar seu cartão bancário
a três facínoras...

dois foram ao banco;
um, ficou ameaçando as vítimas;

lá, na conta, disponíveis,
só trinta dinheiros...

e eles voltaram,
com o diabo no couro, enlouquecidos...

jogaram a dentista no sofá
e a incendiaram...
sem dó, sem piedade...

e, se foram
com os trinta dinheiros...
sem serem incomodados

- a dentista era
arrimo de família...

tristeza, revolta
e,  muitos porquês
invadem o peito
dos brasileiros...

e a segurança?
e a segurança?

a constituição revogou
o direito à vida!
- toda a propriedade
doravante poderá ser invadida
os bens e a vida dos seres
poderão ser retirados,
sem prévio aviso,
preferencialmente,
por bandidos, ladrões e assassinos cruéis!

sem direito à segurança,
consultórios, pequenas lojas e quiosques
se quiserem continuar atuando,
terão que contratar sua segurança

- porque o estado é inapto, inerme
incompetente, corrupto e alienado
e até seu superior tribunal federal
não terá mais poderes (será Dr. Teori?)

que conste nos autos que:
- condeno o estado de são Paulo
a pagar pensão vitalícia à família
da dentista assassinada,
com a devida assistência médico-social.

Dê-se ciência e Cumpra-se!
Postar um comentário