sábado, 23 de agosto de 2014

LARGO DO RELÓGIO João de Jeus Paes Loureiro



LARGO DO RELÓGIO
João de Jeus Paes Loureiro




Há uma fonte
                   um repuxo de lendas
nesta praça cheia de horas.
Um cartucho de estrela
                            prestes a explodir.

Pelos bancos afásicos
o diálogo, entre dentes, do silêncio
                            consigo mesmo...

Do outro lado, fachadas de azulejos,
                                               os sobrados.
Sacadas e calçadas.
                            Namorados.
E a palavra amor voando de alto a baixo.
Postar um comentário