quinta-feira, 7 de maio de 2015

Poema, Kathleen McCracken



Poema
Kathleen McCracken




Vai voar?
Quem garante que estas frágeis asas
vão suportar o peso de tanto ar
que o motor vai atingir uma potência máxima
o lastro bem distribuído
que todos os cálculos somam
algo seguro?
Cabos gemem qual cordas de violino
ou cigarras cantando no calor
a cauda trepida -
uma pipa de menina, uma libélula
e gravadas na fuselagem
autobiografias
aquele alumínio rarefeito
uma folha de pergaminho aéreo.
Voamos com fé, tu dirias
mas tudo o que sempre saberei com certeza
é que quando o dia chegou
- dourado sagrado, azul anunciação -
o vento ficou em sua jaula e eu
não esqueci de beijar tua alma.

In: Duplo Autorretrato com Espelho,
de Kathleen McCracken, trad. de José Roberto O’Shea
Postar um comentário