sábado, 13 de setembro de 2014

Passear por Lisboa é desvendar o universo de Fernando Pessoa André Luiz Azevedo



Passear por Lisboa é desvendar o universo de Fernando Pessoa
André Luiz Azevedo
(Lisboa, Portugal)

Estátuas, imagens e placas homenageiam o grande poeta português.  Roteiro inclui livraria considerada a mais antiga do mundo.

Cada cidade geralmente tem um grande personagem muito ligado à sua história. Mas em poucos lugares do mundo um escritor é tão ligado ao lugar em que viveu, como no caso de Fernando Pessoa e Lisboa. Ele nasceu, viveu, amou e escreveu muito sobre a capital portuguesa.
"Sobre sete colinas se pode desfrutar magníficos panoramas, da vasta, irregular e multicolorida massa de casas que se constitui Lisboa". Essa é uma pequena descrição da cidade que o poeta português Fernando Pessoa fez no guia turístico que escreveu no início do século passado. Fernando Pessoa é considerado o mais universal dos poetas portugueses e também o mais lisboeta de todos. Ele viveu intensamente a cidade. Por isso, a crônica de hoje faz um passeio pelo roteiro da Lisboa de Fernando Pessoa.
Em toda a cidade há muitas homenagens ao grande poeta da língua portuguesa. As estátuas, imagens e placas estão por toda parte. O roteiro de Fernando Pessoa pode ser percorrido em poucas horas. Mesmo quem nunca pegou em um livro do poeta, irá identificar algumas frases criadas por Fernando Pessoa, como: "tudo vale a pena quando a alma não é pequena"; "navegar é preciso, viver não é preciso" ou "todas cartas de amor são ridículas e não seriam cartas de amor se não fossem ridículas".
O passeio começa no Largo de São Carlos, local de nascimento de Fernando Pessoa. O escritor frequentou a livraria de mais de 170 anos, considerada a mais antiga do mundo. No caminho, há um ponto de venda de livros do poeta. O roteiro exige uma parada na Confeitaria a Brasileira, um clássico de Lisboa, onde é obrigatória uma foto ao lado de Fernando Pessoa. Esse foi o primeiro lugar a vender cafezinho em Portugal.
Fernando Pessoa era um homem da cidade. Ele teve mais de 20 endereços, mas não saia da região central de Lisboa. Então, o passeio percorre ruas, ladeiras, praças e a estação de trens. A guia vai explicando e às vezes tem que escolher bem as palavras. A língua de Fernando Pessoa e a nossa às vezes não parece exatamente a mesma.
Sempre a pé é possível passar por todos esses lugares e aproveitar as atrações que Lisboa oferece. Quando o cansaço baixar, basta pegar o bonde. O famoso Elétrico 28, que também faz parte do roteiro, já que era o transporte de Fernando Pessoa e hoje é o preferido dos turistas.
O roteiro da Lisboa de Fernando Pessoa chega ao restaurante onde ele terminava o dia e até hoje mantém a mesa em que ele se sentava do mesmo jeito. Também é um ponto obrigatório de foto. Passear pela Lisboa de Fernando Pessoa é ainda a chance de conhecer de onde surgiu a inspiração para algumas das obras primas da lingua portuguesa.
Ó mar salgado, quanto do teu sal
são lágrimas de Portugal!
Por te cruzarmos, quantas mães choraram,
quantos filhos em vão rezaram!
Quantas noivas ficaram por casar
para que fosses nosso, ó mar!
Valeu a pena? Tudo vale a pena
se a alma não é pequena.


http://g1.globo.com/jornal-hoje/noticia/2014/08/passear-por-lisboa-e-desvendar-o-universo-de-fernando-pessoa.html
Postar um comentário