quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Lady Lazarus, Sylvia Plath - poema


Lady Lazarus
Sylvia Plath 


Tentei outra vez.
Um ano em cada dez
Eu dou um jeito –



Um tipo de milagre ambulante, minha pele
Brilha feito abajur nazista,
Meu pé direito



Peso de papel,
Meu rosto inexpressivo, fino
Linho judeu.



Dispa o pano
Oh, meu inimigo.
Eu te aterrorizo? –



O nariz, as covas dos olhos, a dentadura toda?
O hálito amargo
Desaparece num dia.



Em muito em breve a carne
Que a caverna carcomeu vai estar
Em casa, em mim.



http://www.lendo.org/ariel-sylvia-plath/
Postar um comentário